O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: "A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE " 1 de novembro de 2019

CULTO AO VIVO: "A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE " 1 de novembro de 2019

Reitrado de: http://carpa.com/pt-br/recursos/conferencias/1998/07/bencao_de_abraao

 

Muito boa tarde amáveis amigos e irmãos aqui em Zepita, El Puno, Peru. É para mim um grande privilégio estar com vocês, para compartilhar uns momentos de companheirismo ao redor do Programa de Deus correspondente a este tempo final para os países latino-americanos e caribenhos, onde Deus tem muitos filhos; porque Deus colocou na América Latina e no Caribe, filhos e filhas de Deus para viverem neste formoso território que Deus criou, onde A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE vem neste tempo final.

         Recebam minhas saudações, todos os cidadãos deste formoso território de Zepita, e as autoridades municipais e governamentais. Que Deus os abençoe grandemente, e encha este território de Sua bênção, Melquisedeque, o Rei de Salém e Sacerdote do Deus Altíssimo, o qual abençoou a Abraão e, consequentemente, sua semente que estava nele. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

         Quero ler em Gênesis, capítulo 14, versículos 17 em diante; quando Abraão regressava da batalha tendo obtido a vitória e tendo recuperado, libertado, Ló e sua família e aos habitantes de Sodoma que tinham sido levados presos. Agora, diz:

“E o rei de Sodoma saiu-lhes ao encontro (depois que voltou de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele) no vale de Savé, que é o vale do Rei.

E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e este era sacerdote do Deus Altíssimo.

E abençoou-o e disse: Bendito seja Abrão do Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra;

e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E deu-lhe o dízimo de tudo.

E o rei de Sodoma disse a Abrão: Dá-me a mim as almas e a fazenda toma para ti.

Abrão, porém, disse ao rei de Sodoma: Levantei minha mão ao SENHOR, o Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra,

e juro que, desde um fio até à correia dum sapato, não tomarei coisa alguma de tudo o que é teu; para que não digas: Eu enriqueci a Abrão;

salvo tão somente o que os jovens comeram e a parte que toca aos varões que comigo foram, Aner, Escol e Manre; estes que tomem a sua parte.”

         Aqui podemos ver Melquisedeque aparecendo a Abraão e abençoou Abraão.

         Algumas pessoas se perguntaram: “E quem é este Melquisedeque que apareceu a Abraão, o qual é Sacerdote do Deus Altíssimo?”; e do qual São Paulo também nos fala, dizendo no capítulo 7 de Hebreus:

         “Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;

         a quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça e depois também rei de Salém, que é rei de paz;

         sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas, sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.”

         Agora, quem é este personagem que permanece como Sumo Sacerdote para sempre no Templo de Deus no Céu? Este personagem é o Senhor Jesus Cristo. E por isso é que, conforme a Ordem do Templo que está no Céu, Deus ordenou ao profeta Moisés construir um templo aqui na Terra e ordenou colocar uma ordem sacerdotal, que é tipo e figura da Ordem Sacerdotal do Templo que está no Céu; ou seja: que a ordem sacerdotal de Levi se torna tipo e figura da Ordem Sacerdotal de Melquisedeque do Templo que está no Céu.

         Dessa ordem sacerdotal de Levi, Aarão foi o primeiro sumo sacerdote, e com ele houve muitos sacerdotes que ministravam; mas o sumo sacerdote era Aarão e era o único que podia entrar no lugar santíssimo do templo que Moisés tinha construído.

         No lugar santíssimo estava a arca do pacto; estava dentro da arca do pacto as tábuas da Lei, o maná que Deus ordenou a Moisés que recolhesse e colocasse em uma vasilha de ouro, e ali estava a vara de Aarão que reverdeceu; e sobre a arca do pacto estava o Propiciatório, que é a tampa que cobre o Propiciatório.

         Esse Propiciatório foi feito de ouro puro; e nesse Propiciatório (feito da mesma peça de ouro) estavam dois querubins de ouro, um de cada lado; e no meio desses querubins de ouro, aí sobre o Propiciatório, estava a presença de Deus, aí estava Deus na luz da Shekinah, nessa luz mística, e daí se manifestava Deus; Deus daí falava também ao profeta Moisés, conforme a como Deus disse no capítulo 25 e versículo 21 ao 22, onde diz do Êxodo:

         “E porás o propiciatório em cima da arca, depois que houveres posto na arca o Testemunho, que eu te darei.

         E ali virei a ti e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do Testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel.”

         Deus estando sobre o Propiciatório, no meio dos querubins de ouro, se manifestava ali e falava ao profeta Moisés.

         O sumo sacerdote uma vez ao ano entrava nesse lugar, mas Moisés entrava em todo momento que fosse necessário, porque ele era o profeta mensageiro daquela nova Dispensação, a Dispensação da Lei; e por meio do profeta Moisés, Deus deu a Lei ao povo hebreu.

         Portanto, Moisés é tipo e figura também de Melquisedeque. E Moisés, sendo o legislador, legislador e rei, líder do povo hebreu, representa Cristo como Rei.

         E agora vejam vocês como Deus refletiu aqui na Terra, em Moisés e Aarão, esse ministério de Melquisedeque de Rei e Sacerdote; e refletiu também tudo o que está no Céu, no Templo de Deus, refletiu-o aqui na Terra no meio do povo hebreu, no templo que Deus ordenou Moisés construir.

         Por isso a Escritura diz… São Paulo diz que tudo o que estava ali era tipo e figura do Templo que está no Céu. No capítulo 9 do livro de Hebreus, diz São Paulo:

         “Ora, também o primeiro tinha ordenanças de culto divino e um santuário terrestre.

         Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o Santuário.

         Mas, depois do segundo véu, estava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos,

         que tinha o incensário de ouro e a arca do concerto, coberta de ouro toda em redor, em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas do concerto;

         e sobre a arca, os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente.

         Ora, estando essas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços;

         mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo;

         dando nisso a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do Santuário não estava descoberto, enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo,

         que é uma alegoria para o tempo presente…”

         Vejam como Deus simbolizou lá tudo o que Deus estaria realizando e as coisas que estariam acontecendo no Templo de Deus no Céu.

         E assim como o sumo sacerdote entrava no lugar santíssimo com o sangue da expiação para a reconciliação do povo hebreu com Deus (uma vez ao ano ele fazia isto), agora no Templo que está no Céu, o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu tem que entrar no Lugar Santíssimo desse Templo, mas tem que entrar com o Sangue do Sacrifício pelo pecado.

         E esse sacrifício pelo pecado, no templo que Moisés construiu se efetuava, esse sacrifício, no átrio, onde estava tudo o que era necessário para se efetuar esse sacrifício; e daí em seguida o sumo sacerdote tomava o sangue desse sacrifício e o levava dentro do templo ao lugar santíssimo.

         E agora, por quanto tudo o que Moisés construiu nesse templo é tipo e figura do Templo de Deus, Cristo, o Sumo Sacerdote Melquisedeque, que é Jesus Cristo, o qual apareceu aos profetas do Antigo Testamento em diferentes ocasiões em Seu corpo teofânico (apareceu em Seu corpo teofânico no Antigo Testamento), agora se faz carne no meio da raça humana e é conhecido pelo nome de Jesus. Por isso Jesus podia dizer: “Abraão desejou ver meu dia; o viu, e se alegrou.”

         Abraão tinha visto Melquisedeque; e também em outra ocasião tinha visto Elohim, que é o mesmo Deus em forma humana, materializado diante de Abraão, e tinha comido com Abraão. Ou seja: que Abraão, o Pai da Fé, tinha visto Melquisedeque, o qual é o mesmo Elohim, o Sacerdote do Templo que está no Céu, o qual viria à Terra materializado em carne humana no meio da descendência de Abraão segundo a carne primeiramente, que é o Israel terreno…

         E por isso é que Melquisedeque, o qual é o mesmo Jesus Cristo, se fez carne e habitou no meio do povo hebreu: para realizar o Sacrifício pelo pecado para a reconciliação de todos os filhos e filhas de Deus, para a reconciliação de toda a descendência, a semente de Abraão; tanto para a reconciliação da descendência de Abraão segundo a carne como também para a descendência de Abraão celestial; porque temos a descendência de Abraão terrena, que é o povo hebreu (esse é o Israel terreno), e temos a descendência de Abraão celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo (esse é o Israel celestial).

         E para a reconciliação de Israel terreno e de Israel celestial, Melquisedeque, o Sumo Sacerdote do Templo que está no Céu, teve que vir à Terra para efetuar o Sacrifício pelo pecado; e se fez carne e ofereceu Seu próprio corpo em sacrifício vivo pelo pecado. Por isso disse João Batista, falando sobre Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.”

         E agora, vem Melquisedeque à Terra para abençoar a semente de Abraão, e efetua o Sacrifício na Cruz do Calvário, onde o crucificaram, e ali se efetua o Sacrifício pelo pecado. Aí temos Jesus Cristo cumprindo todos os tipos e figuras daqueles sacrifícios que o povo hebreu realizava pelo pecado e pela reconciliação do povo.

         Portanto, nesse Sacrifício que fez Jesus Cristo na Cruz do Calvário se cumpriu o sacrifício do cordeiro pascal e também o sacrifício do bode da expiação para a reconciliação do povo hebreu com Deus; e todos outros sacrifícios que se efetuavam foram cumpridos nesse Sacrifício de Jesus Cristo.

         E ali, estando nesse corpo de carne, aqui neste planeta Terra, Melquisedeque, o Sacerdote do Deus Altíssimo do Templo que está no Céu e Rei de Salem (ou seja: de Jerusalém) e Rei de Paz, encontramos que efetuou o Sacrifício (onde?) no Átrio; porque este planeta Terra é o Átrio da Casa de Deus.

         E agora, passa Jesus Cristo com Seu próprio Sangue quando sobe ao Céu, como Sumo Sacerdote do Deus Altíssimo do Templo que está no Céu, passa ao mesmo Céu, ao Lugar Santíssimo, ao Trono de Deus, passa a essa dimensão celestial, e coloca sobre o Trono de Deus, sobre a cadeira ou assento de misericórdia, coloca Seu Sangue; e ao colocar Seu Sangue ali, da expiação efetuada por Cristo, converte esse Trono de Deus em um Trono de Misericórdia para a raça humana.

         E, consequentemente, começam as bênçãos de Melquisedeque — o Sacerdote do Deus Altíssimo do Templo que está no Céu — a fluir desde o Trono de Deus para a raça humana; e assim toda pessoa que escuta a Obra que Jesus Cristo, Melquisedeque, realizou neste planeta Terra morrendo na Cruz do Calvário, e em seguida subindo ao Céu e levando Seu próprio Sangue e colocando-o no Trono de Intercessão ou assento de intercessão no Céu, para interceder por toda pessoa que o recebe como seu Salvador e lava seus pecados no Seu Sangue… Agora, para essas pessoas, A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE vem sobre eles, para assim receberem as bênçãos do Céu, do Trono de Deus, para serem reconciliados com Deus.

         Por isso São Paulo dizia: “Reconcilia-vos hoje com Deus”: por meio do Sacrifício de Cristo e Seu Sangue derramado na Cruz do Calvário, e levado ao Trono de Deus no Céu, onde Cristo se sentou e colocou Seu próprio Sangue, e se colocou ali como Intercessor; e permanece fazendo intercessão por todos os filhos e filhas de Deus que vieram viver neste planeta Terra e, consequentemente, são o Israel celestial, são os descendentes celestiais de Abraão, os quais são abençoados por Melquisedeque, quem abençoou Abraão.

         Agora podemos ver que Melquisedeque esteve abençoando a semente de Abraão durante todos estes anos que transcorreram: dois mil anos de Cristo para cá, esteve enviando essa bênção desde o Céu, desde o Trono de Deus; e continua enviando essa bênção para a reconciliação de toda pessoa que recebe a Cristo como seu Salvador e lava seus pecados no Sangue de Cristo. Então Deus lhe dá Seu Espírito, Seu Espírito Santo, e obtém o novo nascimento, e vem pertencer assim plenamente ao Israel celestial, a essa descendência celestial de Abraão.

         Agora, vimos “A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE”.

         E como Melquisedeque — que é Jesus Cristo — está como Sumo Sacerdote da Ordem celestial do Templo de Deus no Céu, está no Lugar Santíssimo fazendo intercessão por cada filho e filha de Deus, até que entre o último dos escolhidos de Deus.

         E neste tempo final, assim como os buscou em diferentes territórios, neste tempo final os está buscando, os está chamando e os está juntando na América Latina e no Caribe; e os está colocando nesse Israel celestial, que é a Igreja do Senhor Jesus Cristo e que também é o Templo espiritual do Senhor Jesus Cristo.

         Agora podemos ver que Deus está derramando desde Seu Trono as bênçãos celestiais, porque Melquisedeque está no Lugar Santíssimo do Templo que está no Céu, e Melquisedeque é o nosso amado Senhor Jesus Cristo; e desde o Trono de Deus está enviando Suas bênçãos neste tempo final sobre o continente latino-americano e caribenho, e está nos abrindo o entendimento para compreender todos estes mistérios do Reino de Deus; e assim está chamando e juntando todos Seus escolhidos neste tempo final.

         Os está chamando e juntando onde? No Corpo Místico do Senhor Jesus Cristo, que é Sua Igreja; e esse é também o Templo espiritual de Jesus Cristo, o qual representa ou é a representação do Templo celestial de Deus.

         Vimos que também as pessoas que pertencem a este Israel celestial são os filhos do Rei Melquisedeque, que estão aparecendo neste planeta Terra de era em era e, consequentemente, são lavados dos seus pecados com o Sangue de Cristo e são reconciliados com Deus; e são, no Israel celestial e no Templo celestial e no Templo espiritual de Cristo, são os reis e sacerdotes dos quais nos fala o Apocalipse quando nos ensina que Jesus Cristo nos redimiu com Seu Sangue e nos fez para nosso Deus reis e sacerdotes. Apocalipse, capítulo 1, versículo 4 ao 6, e também no capítulo 5, versículos 8 ao 10.

         Vejamos no capítulo… vamos ver… Capítulo 5, versículo 9 ao 10, diz:

         “E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação;

          e para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e eles reinaremos sobre a terra.”

         Agora, vejam vocês como Melquisedeque, o Rei de Paz e Rei de Jerusalém e Sacerdote do Deus Altíssimo do Templo que está no Céu, tem muitos filhos e filhas aqui na Terra, que são reis e sacerdotes do Templo espiritual de Cristo e do Templo celestial de Deus. E diz a Escritura que reinaremos com Cristo sobre a Terra mil anos, e aí estaremos como reis e sacerdotes dessa Ordem celestial de Melquisedeque.

         Tudo isso foi refletido na ordem terrena de Aarão como sumo sacerdote e todos os demais sacerdotes descendentes de Levi.

         Agora podemos ver como está vindo à raça humana A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE para todas as pessoas que têm seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro no Céu; porque esses são os filhos do Rei Melquisedeque, que assim como o Rei Melquisedeque, Jesus Cristo, veio à Terra em carne humana, tivemos que vir também em carne humana e receber a Cristo como nosso Salvador e lavar nossos pecados no Sangue de Cristo, para ser reconciliados com Deus e ser restaurados à vida eterna, e poder ter nosso trabalho, nosso ministério como sacerdotes de Deus e reis de Deus da Ordem celestial de Melquisedeque, para no glorioso Reino Milenial de Cristo reinar com Cristo por mil anos e em seguida por toda a eternidade.

         E por isso é que para vocês, amigos e irmãos que me escutam nesta ocasião, A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE está sendo derramada sobre este território peruano e sobre toda a América Latina e o Caribe: porque Melquisedeque tem muitos filhos e filhas neste território, os quais neste tempo final são chamados e juntados e preparados para receberem as bênçãos de Melquisedeque, e obter a imortalidade, e reinar com Cristo por mil anos e em seguida por toda a eternidade.

         Ele está chamando e juntando todos Seus filhos; e quando se complete o número dos filhos do Rei Melquisedeque, os mortos em Cristo ressuscitarão em corpos eternos e nós os que vivemos seremos transformados; e então entraremos na imortalidade física, porque teremos um novo corpo eterno.

         E isto é para cada um de vocês, amigos e irmãos que me escutam nesta noite através da rádio e também os que estão aqui presentes.

         As bênçãos do Rei Melquisedeque são para todos vocês, amigos e irmãos que me escutam através das ondas de rádio e também para os presentes aqui.

         Foi para mim um privilégio muito grande estar com vocês nesta ocasião dando-lhes testemunho de “A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE”.

         Vimos como está vindo a todos nós essa bênção do Rei Melquisedeque: por meio de Jesus Cristo, que é o Rei Melquisedeque, nos abençoando todos nós na América Latina e no Caribe, e assim nos reconciliando com Deus neste tempo final.

         Que as bênçãos de Jesus Cristo, o Rei Melquisedeque e Sacerdote do Deus Altíssimo do Templo que está no Céu, sejam sobre todos vocês e sobre mim também. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

         “A BÊNÇÃO DE MELQUISEDEQUE”.

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16