O Caminho para a Vida Eterna - CULTO AO VIVO: "A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS" - 12 de janeiro de 2020

CULTO AO VIVO: "A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS"

Texto reproduzido de http://www.carpa.com:

 

Muito bom dia a todos os presentes e os que estarão vendo esta conferencia através de vídeo; e que as bênçãos de Jesus Cristo, o Anjo do Pacto, sejam sobre todos vocês e sobre mim também, e nos encha do conhecimento do Seu Programa, da Sua Palavra correspondente a este tempo final, e em seguida todos sejamos transformados e levados à Casa do nosso Pai celestial no Céu. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

         Vamos ler no livro de Êxodo, capítulo 15, versículo 22 em diante, onde nos fala de uma árvore, a qual adoçou as águas amargas; e diz, capítulo 15, versículo 22 ao 26:

         “Depois, fez Moisés partir os israelitas do mar Vermelho, e saíram ao deserto de Sur; e andaram três dias no deserto e não acharam água.

Então, chegaram a Mara; mas não puderam beber as águas de Mara, porque eram amargas; por isso, chamou-se o seu nome Mara.

E o povo murmurou contra Moisés, dizendo: Que havemos de beber?

E ele clamou ao SENHOR, e o SENHOR mostrou-lhe um lenho que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces; ali lhes deu estatutos e uma ordenação e ali os provou.

E disse: Se ouvires atento a voz do SENHOR, teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o SENHOR, que te sara.”

         Que Deus abençoe nossas almas com Sua Palavra e nos permita entendê-la.

         “A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS”.

         Essa árvore representa a quem? Ao nosso amado Senhor Jesus Cristo. Essa árvore é Cristo, como também a árvore no Jardim da Éden é Cristo; e a árvore em Apocalipse também é Cristo, a Árvore da Vida; e Ele é quem adoça as águas amargas.

         E as águas amargas representam aqui, nesta ocasião, o povo hebreu e também representam todos os filhos e filhas de Deus. E agora, vejam vocês, representa o povo de Deus.

         Por isso, assim como Deus curou as águas amargas dizendo a Moisés que colocasse essa árvore nas águas amargas, e ficaram adoçadas, agora com a Árvore da Vida — que é Cristo — colocado nas águas amargas, colocada essa Árvore no povo, adoça-se o povo e recebe vida eterna o povo.

         E vejam vocês como aqui, assim como Deus curou as águas com essa árvore (que disse a Moisés que colocasse nas águas), agora Deus diz ao povo hebreu: “Eu sou o SENHOR, que te sara”.

         Ele é essa Árvore; Ele é Cristo, a Árvore que adoça o povo; pois o povo; vejam vocês, amargurado com a escravidão, com as enfermidades e com todos os problemas da vida terrena, vive uma vida dura, cheia de amarguras. Mas agora, com Cristo dentro da pessoa, dentro do povo, as águas se tornam doces, porque Ele adoça nossa vida; e então encontramos sentido à vida, encontramos o sentido que realmente tem.

         Estamos vivendo neste planeta Terra para ter esta experiência única em um corpo mortal, corruptível e temporário, no qual viemos por causa da queda do ser humano no Jardim do Éden; e desde a queda do ser humano ninguém pode vir a esta Terra com um corpo eterno e com um espírito eterno, mas que a pessoa toma um corpo mortal e corruptível e temporário, o qual nasce por meio de sua mãe terrena, o qual foi gerado por seu pai na sua mãe; e ao nascer obtém um espírito do mundo também.

         E por isso é que o ser humano é inclinado para o mal, e por isso é que as águas de povos, nações e línguas são amargas. E a única coisa que adoça as nações, povos e línguas e seres humanos é essa Árvore, a Árvore da Vida, que é Cristo, quem adoçou as águas amargas lá. Aquela árvore é tipo e figura de Cristo.

         E agora, Ele é nosso Salvador e Ele é nosso Curador da alma; e Ele cura a alma produzindo o novo nascimento em todos aqueles que creem em Cristo; e assim nos dá um espírito eterno ou um espírito com vida eterna, um espírito teofânico da sexta dimensão (que é um corpo, mas de outra dimensão, parecido ao nosso corpo), no qual a pessoa vai viver se terminar seus dias aqui neste corpo mortal; continua vivendo, mas nesse outro corpo da sexta dimensão.

         E vive ali, em outra dimensão, onde há água, onde há árvores, onde há passarinhos; mas nem se come, nem se trabalha, nem dorme como aqui nesta dimensão na qual nós estamos; ali também não há noite, portanto não é preciso dormir; e não se cansam também não de estarem ali. É um paraíso.

         Mas agora eles vão regressar à Terra e vão tomar um corpo eterno que Deus lhes dará; os ressuscitará em um corpo que Deus criará, um corpo eterno, para viver por toda a eternidade nesse corpo eterno.

         O ser humano, por quanto depois da queda, não tinha ido à sexta dimensão para ali tomar um corpo teofânico, dessa dimensão, um corpo eterno, e depois vir a esta Terra e tomar um corpo físico também eterno.

         Agora, vejam vocês, por quanto essa é a única rota, o único caminho, para aparecer aqui com vida eterna, então o ser humano tem que nascer de novo: primeiro nascer na sexta dimensão; e isso obtém por meio de crer em Cristo como nosso Salvador, receber Seu Espírito Santo e assim… - crer em Cristo como seu Salvador, lava seus pecados no Sangue de Cristo e recebe o Espírito Santo, e assim se opera o novo nascimento na pessoa, e assim nasceu na sexta dimensão; nasceu em lugares celestiais em Cristo Jesus por meio do Espírito de Cristo.

         E em seguida, para o Último Dia, receberemos o corpo eterno, corpo físico e glorificado, igual ao corpo do nosso amado Senhor Jesus Cristo; para os mortos em Cristo lhes dará um corpo novo ressuscitando-os em um novo corpo eterno, e a nós que vivemos; se permanecermos vivos até que ressuscitem os mortos em Cristo, pois nos transformará, e nos dará assim um corpo eterno também, igual ao corpo de Jesus Cristo.

         Vejam, essa foi a ordem que Jesus Cristo tomou para vir à Terra: primeiro Ele teve Seu corpo teofânico da sexta dimensão, chamado esse corpo teofânico “o Anjo do Senhor”; o Anjo do Senhor, no qual apareceu aos profetas do Antigo Testamento; e eles o viram e disseram que era um varão, um homem de outra dimensão. Ele foi quem criou os Céus e a Terra. Nesse corpo quem estava? Deus. É chamado também “o Verbo.”

         “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Ele estava no princípio com Deus.

Todas as coisas foram feitas por ele…”

         Ou seja: que por esse corpo teofânico foram feitas todas as coisas; porque “nele estava a vida”, e daí vem a vida para toda a Criação. E Deus estando nesse corpo, em Seu corpo teofânico, daí falou a existência toda a Criação.

         E em seguida, continua dizendo… Estou lhes citando São João, capítulo 1, versículo 1 ao 4… E em seguida continua dizendo… vamos lê-lo aí, para que o tenham claro, como está aí, na ordem que está aí em São João, capítulo 1:

         “No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

Ele estava no princípio com Deus.

Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.

Nele, estava a vida e a vida era a luz dos homens;

e a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João (ou seja: João Batista).

Este veio para testemunho para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.

Não era ele a luz, mas veio para que testificasse da luz.

Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo.”

         Essa Luz verdadeira, o Verbo, que estava com Deus e era Deus, vinha a este mundo.

         E agora, como iria vir a este mundo o Verbo, que estava com Deus e era Deus, o mesmo Deus em Seu corpo teofânico? Diz que vinha a este mundo:

         “Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo homem que vem ao mundo (e vejamos como é que ia vir; como vinha a este mundo).

         estava no mundo, e o mundo foi feito por ele e o mundo não o conheceu.”

         Quem fez o mundo inteiro, todo o universo e o planeta Terra e tudo? O Verbo, que estava com Deus e era Deus, ou seja: Deus desde Seu corpo teofânico.

         “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam (ou seja: o povo hebreu).

Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus:…”

         E isto é por meio do novo nascimento: ao crer em Cristo como nosso Salvador e lavar nossos pecados no Sangue de Cristo e receber Seu Espírito Santo, nascemos como filhos e filhas de Deus.

         Quando nascemos por meio de papai e mamãe terrena, nascemos como filhos de quem? De nossos pais terrenos. Mas agora por meio do novo nascimento, crendo em Cristo como nosso Salvador e lavando nossos pecados no Sangue de Cristo e recebendo Seu Espírito Santo, nascemos como filhos e filhas de Deus.

         “… os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne (ou seja: não são gerados por papai e mamãe, não são gerados por um homem e uma mulher), nem da vontade do varão, mas de Deus.”

         Pela vontade de Deus. Por meio do novo nascimento, por meio do Espírito Santo: nos dando Seu Espírito Santo e assim nos dando um corpo teofânico é que nascemos de Deus.

         E para o Último Dia nos dará o corpo físico e eterno que Ele prometeu para todos nós. E de onde nascerá esse corpo? De Deus também.

         Tudo vem de Deus, tanto o espírito, o corpo teofânico da sexta dimensão, como o corpo físico e eterno que Ele nos dará no Último Dia, ou seja: neste tempo final no qual vivemos; que é o Último Dia se acrescentarmos ao calendário os anos de atraso que tem.

         Se acrescentarmos ao calendário os anos de atraso que tem, já estamos no sétimo milênio, e o sétimo milênio diante de Deus é o Último Dia; porque “um dia diante do Senhor é como mil anos” para nós, diz Segunda de Pedro, capítulo 3, versículo 8, e também o profeta Moisés no Salmo 90 e versículo 4.

         “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós…”

         E quando o Verbo, que estava com Deus e era Deus (o qual é chamado também o Anjo do Senhor), quando se fez carne e habitou entre nós, como o conhecemos? Com que nome o conhecemos? Com o nome de Jesus.

         Jesus é o Verbo, o Anjo do Pacto, o Verbo que se fez carne; é o mesmo Deus com Seu corpo teofânico que se fez um corpo de carne e habitou entre os seres humanos no meio do povo hebreu.

         “… e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.”

         E essa é a Árvore que adoça as águas amargas, essa é a Árvore que adoça o povo de Deus: o povo hebreu e a Igreja do Senhor Jesus Cristo; porque no meio da Igreja de Jesus Cristo é colocada essa Árvore que adoça as águas: Jesus Cristo.

         E por isso é que nos dá cura espiritual, curando nosso espírito, nos dando um novo espírito, um corpo teofânico, um espírito, o Espírito Santo dado Por Deus; e depois nos dará — no Último Dia — o corpo físico e eterno, e assim também teremos saúde eterna em nosso corpo; porque Jeová, Jesus Cristo, é nosso Curador.

         Assim nosso corpo físico será um corpo sem nenhum problema de saúde; porque Ele, Jesus Cristo, o Jeová do Antigo Testamento, é nosso Curador.

         Neste corpo de carne mortal, corruptível e temporário ainda temos problemas de saúde, porque por causa deste ser um corpo na permissiva vontade de Deus, o qual obtivemos por causa da queda do ser humano no Jardim do Éden, o diabo ainda tem acesso a dar problemas ao nosso corpo físico, porque é um corpo na permissiva vontade de Deus; e por essa causa é que temos problemas de saúde em algumas ocasiões. Mas Deus é nosso Curador.

         Agora, isto não quer dizer que nós não possamos usar alguma remédio ou ir a um médico; cada pessoa pode fazê-lo e não tem nenhum problema com Deus; como também pode orar a Deus sempre e pedir que o ajude e cure seu corpo; ou pode pedir que use o médico também, e que por meio do médico seu corpo físico seja aliviado de seus problemas de saúde.

         Agora, Cristo é essa Árvore que curou as águas e Ele é nosso Curador. E para receber a cura do corpo, a pessoa o primeiro que tem que entender é que Cristo já o curou; a você e a mim na Cruz do Calvário, quando Ele levou nossos pecados e levou todas nossas enfermidades.

         Porque as enfermidades foram o produto do pecado no Horto do Éden e, consequentemente, o ser humano em seguida teve que vir — da queda para cá — em um corpo mortal, corruptível e temporário, o qual também tem problemas de saúde, porque o diabo tem acesso a esse corpo ainda; ou seja: que ele pode dar o primeiro golpe (primeiro golpe) a esse corpo.

         Mas Cristo é nosso Curador. E com fé desde o profundo de sua alma, a pessoa reconhecendo que Cristo já o curou faz dois mil anos, pode se materializar na pessoa essa cura. Tem que crer na alma, do profundo de sua alma, consciente de que Cristo o curou faz dois mil anos lá na Cruz do Calvário, assim como também o salvou faz dois mil anos.

         E para que se materialize a salvação em você, pois você teve que crer na Obra de Cristo na Cruz do Calvário e reconhecer que Cristo na Cruz do Calvário salvou a você e me salvou.

         Na mesma forma é para receber a cura do corpo. Ele já o fez. E se materializa na pessoa quando a pessoa crê desde o profundo de sua alma e dá graças a Deus por essa bênção que Cristo ganhou para nós na Cruz do Calvário; porque Ele levou nossos pecados e nossas enfermidades, todas nossas doenças; por Suas chagas nós fomos curados.

         E agora, vejam como Cristo…, que é esta Árvore da vida eterna e é a Árvore que adoça as águas, ou seja: a raça humana, os seres humanos: povos, nações e línguas; e a cada pessoa como indivíduo quando Cristo é colocado (onde?) dentro da pessoa; dentro das águas, na pessoa, dentro do povo de Deus, o povo hebreu. Mas o povo hebreu não quis essa Árvore, a rejeitou, e por isso teve tantos problemas.

         Mas assim como Moisés colocou essa árvore nas águas amargas lá, que representam o povo hebreu e também os gentios (o povo de Deus entre os gentios), Moisés novamente colocará essa Árvore no meio do povo hebreu, nas águas amargas, e adoçará essas águas; porque o ministério de Moisés estará na Terra no Último Dia no meio do povo hebreu, levando essa Árvore, Cristo, e vai adoçar o povo hebreu.

         Agora vejam como quem dá a doçura ao povo de Deus e a cada um dos membros do Seu povo como indivíduo, é quem? Cristo, a Árvore que adoça as águas. Não há outra Árvore como essa.

         Essa Árvore é nosso amado Salvador, o Ser mais doce e amoroso que pisou neste planeta Terra.

         “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

         Vejam, é a manifestação do amor divino; e essa é a coisa mais gloriosa e mais doce; e essa Árvore, Cristo, é a Árvore, o Ser mais doce de todos, que adoça nossas vidas.

         E agora vejam como Ele é o nosso Curador. Há cura física e há cura espiritual também.

         Curou-nos, nos dando vida eterna e nos dando um corpo teofânico eterno, nos curou espiritualmente; e para este tempo final nos dará um corpo físico eterno, imortal, incorruptível e glorificado, como o corpo do Senhor Jesus Cristo, igual ao corpo de Jesus Cristo; e assim receberemos eterna saúde física também, e eterna juventude também.

         E isso será tão doce, para os que receberão; que a vida física para os filhos e filhas de Deus estará tão adoçada que viveremos felizes pelo Milênio e depois por toda a eternidade; porque a Árvore que adoça as águas, que é Cristo, já começou a adoçar todos os filhos e filhas de Deus: nos dando o novo nascimento e nos dando assim um corpo teofânico da sexta dimensão; e em seguida nos dará o corpo físico e nos adoçará plenamente fisicamente também.

         Já nos adoçou por dentro, e nos adoçará exteriormente também; porque Ele é A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS.

         Já vamos deixar aí, porque se não, passamos à rocha, que deu águas para o povo; mas vamos deixar aí.

         Em Sua Primeira Vinda Cristo, realizando Sua Obra de Redenção na Cruz do Calvário, veio para adoçar, adoçar as águas ao Seu povo; tanto o povo hebreu como a Sua Igreja, predestinada desde antes da fundação do mundo, quem tem seus nomes escritos no Livro da Vida do Cordeiro desde antes da fundação do mundo.

         E isso é o que Ele está fazendo espiritualmente entre os gentios: adoçando as águas, adoçando os seres humanos, dando vida eterna.

         E há algo acaso mais doce do que a vida eterna? Não há. Portanto, saber que alguém tem vida eterna, que alguém mesmo que fique doente e seu corpo físico morrer tem vida eterna, e que viverá por toda a eternidade com nosso amado Senhor Jesus Cristo, e que se seu corpo físico morrer temos a promessa de que Ele nos dará um corpo físico eterno e glorificado igual ao de Jesus Cristo, não é acaso isso doce? Saber que alguém tem vida eterna?

         Agora, amargo é a uma pessoa não saber o que será dele depois que terminar seus dias aqui na Terra.

         Pensar somente (uma pessoa): “De onde eu vim? Onde eu estava antes? Como foi que eu pude aparecer aqui na Terra? De onde eu vim? E quem sou eu? E o que eu faço aqui neste planeta Terra?” E saber que quem vai viver aqui neste planeta Terra; neste corpo mortal, são uns quantos anos (quase ninguém passa de 100 anos, muito poucos são os que passam de 100 anos). E depois o que?

         A pessoa não saber o que há depois desta vida terrena e a pessoa não saber que há uma bênção, uma promessa, de vida eterna. E se a pessoa não sabe isso, pois é porque não tem vida eterna; é porque sua vida não foi adoçada com a Árvore que adoça as águas. Portanto, a pessoa não sabe o que será dele.

         E os que não creem que há uma vida depois desta, pois pensam: “Depois deixarei de existir”. E não é uma coisa triste e amarga saber que alguém existe e que depois vai deixar de existir?

         E se a pessoa, pois sabe que há uma vida depois desta vida terrena, mas não sabe para onde vai, não sabe para que dimensão vai… Se não for um crente em Cristo, pois não sabe para onde vai. Ou se souber, pois sabe então que não vai para o Céu, porque não creu em Cristo como seu Salvador, não lavou seus pecados no Sangue de Cristo e, consequentemente, não nasceu de novo e não tem um corpo teofânico da sexta dimensão, de lá do Paraíso, para ir ao Paraíso viver. Portanto tem que ir viver na quinta dimensão, da qual é esse corpo espiritual que tem. Ou seja: o espírito que tem é da quinta dimensão, portanto tem que ir viver na quinta dimensão, porque já terminou seus dias neste corpo terreno.

         E a quinta dimensão é outro mundo, outra dimensão, onde vão viver as pessoas que não receberam Cristo como seu Salvador e não lavaram seus pecados no Sangue de Cristo e, consequentemente, não receberam o Espírito de Cristo, não nasceram de novo. É outra dimensão, onde há milhões de pessoas.

         Vejam; Cristo foi a essa dimensão quando morreu. E o que Cristo fez lá, o que fazia Cristo lá, naquela dimensão? É porque Cristo tomou nossos pecados — e assim se tornou mortal — e levou nossas enfermidades; portanto, ao tomar nossos pecados se fez pecado por nós. E a recompensa do pecado é (a recompensa do pecado é o que?) a morte.

         Portanto, tinha que morrer fisicamente por causa do nosso pecado que tomou ao se tornar pecado por nós e, consequentemente, tinha que ir a essa quinta dimensão, que é o inferno; e ali se encontrou com milhões de pessoas que tinham vivido no tempo de Noé.

         E vejamos como narra São Pedro. Em Primeira de Pedro, capítulo 3, versículo 18 em diante, diz:

         “Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados…”

         Por que padeceu Cristo? Pelos pecados; mas não por Seus pecados, mas por nossos pecados; porque Ele não tinha pecado, mas tomou nossos pecados, e por causa dos nossos pecados Ele sofreu, porque a recompensa do pecado é morte; e o juízo divino caiu sobre Jesus Cristo e veio a morte sobre Ele.

         “… o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus (para Ele poder nos levar a Deus, Ele teve que tomar nossos pecados, para que agora nós não tenhamos pecado e possamos ir a Deus), mortificado, na verdade, na carne (a morte de Cristo foi na carne, morreu o Seu corpo físico; mas Ele continuou vivendo em Seu corpo teofânico; mas teve que ir ao inferno)…”

         A pessoa quando nasce e vive nesta Terra, se não creu em Cristo como seu Salvador e lavou seus pecados no Sangue de Cristo, e recebeu Seu Espírito, se morrer seu corpo físico, a pessoa continua vivendo, mas tem que ir ao inferno, ou seja: à quinta dimensão; porque dessa dimensão é o espírito que tem, ou seja: o corpo que tem. E Cristo foi em Espírito, ou seja: em Seu corpo teofânico, o qual não é dessa dimensão, mas da sexta dimensão, mas teve que ir à quinta dimensão.

         “(…) no qual (ou seja, nesse corpo) também foi e pregou aos espíritos em prisão,

os quais em outro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água.”

         Agora vejam; Cristo foi em Espírito, ou seja: em Seu corpo teofânico da sexta dimensão, foi à quinta dimensão, e pregou às almas que estavam ali em prisão, nessa quinta dimensão; dessa dimensão não podiam sair, não podem sair.

         Essa dimensão é outro mundo, do qual não podem sair os que vão ali. E Cristo teve que ir ali porque Cristo morreu levando nossos pecados; e a recompensa do pecado é morte, e lhe segue o inferno, ou seja: a quinta dimensão.

         E Ele foi e pregou a essas pessoas que estavam nesses corpos da quinta dimensão, corpos parecidos ao nosso corpo, mas de outra dimensão, da quinta dimensão; e pregou não para salvação: pregou para eles condenando a incredulidade deles.

         Mas em seguida diz a Escritura que Cristo tem as chaves do inferno (ou seja: da quinta dimensão) e da morte, as quais tirou do diabo lá no inferno; e em seguida Cristo passou… saiu do inferno (tendo as chaves, pois pode sair)… saiu do inferno e passou ao Paraíso, a sexta dimensão, onde estavam Abraão, Isaque, Jacó, todos os Santos do Antigo Testamento, e João Batista também ali, o qual foi Seu precursor aqui na Terra. Portanto, quando morreu, sendo decapitado pelo rei, por ordem do rei (a pedido da filha da rainha, que pediu a cabeça de João Batista em um prato), João Batista morreu, mas foi ao Paraíso, onde estava Abraão, Isaque e Jacó e todos eles.

         João Batista teve um ministério curto aqui na Terra, mas depois, quando foi ao Paraíso, teve um ministério de mais tempo lá, de uns quantos anos lá. Enquanto Jesus Cristo estava pregando aqui na Terra, João Batista estava lá no Paraíso, revelando todos os que ali estavam que o Messias já estava na Terra, revelando a todos os que estavam lá no Paraíso que de um momento a outro o Messias realizaria a Obra de Redenção na Cruz do Calvário.

         Porque João Batista o apresentou como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo; e para tirar o pecado do mundo, tinha que morrer na Cruz do Calvário, como cordeiro sacrificado; como sacrificaram o cordeiro lá no Egito, na véspera da Páscoa, para serem livrados os primogênitos, e no outro dia pela manhã o povo hebreu sair livre, no êxodo com Moisés (êxodo significa ‘saída’); e saíram livres no outro dia pela manhã, rumo à terra prometida.

         E agora, Cristo morreria como o Cordeiro Pascal, e por isso foi que no dia antes da Páscoa, Cristo morreu. Na véspera da Páscoa, Cristo morreu, como morreu cada cordeiro que foi sacrificado na véspera da Páscoa lá no Egito, na tarde antes de começar a Páscoa, porque a Páscoa começava ao pôr do sol; e esse cordeiro o comiam dentro dos lares, assado, durante a noite da Páscoa.

         E agora vejam como Cristo teve que morrer na véspera da Páscoa, conforme as profecias.

         E agora, durante todo este tempo de Cristo até aqui, estivemos comendo o Cordeiro de Deus, Jesus Cristo. “O que não comer minha carne, e beber meu Sangue, não tem vida permanente em si mesmo.”

         Ao crer em Jesus Cristo como nosso Salvador e lavar nossos pecados no Sangue de Cristo, e permanecer perseverando em Cristo - e tendo recebido o Espírito de Cristo, perseverando em Cristo escutando Sua Palavra, pois estamos comendo a carne de Cristo, a carne do Filho do Homem, a carne do Cordeiro Pascal, e estivemos bebendo Seu Sangue; e Seu Sangue nos limpou de todo pecado.

         E se alguém comete alguma falta ou algum erro ou algum pecado, confessa seu pecado a Jesus Cristo, baseado  no Sacrifício de Jesus Cristo, ou seja: sobre o Sacrifício de Cristo, lança seus pecados no Sangue de Cristo; e são limpos, ou seja: é limpo de todos seus pecados, e continua em frente em sua vida cristã; porque o Sangue de Jesus Cristo nos limpa de todo pecado.

         O Sangue de Jesus Cristo nos limpa de todo pecado, portanto, temos o Sangue de Cristo aplicado em nossas almas todos os dias de nossa vida.

         E a evidência de que o Sangue de Cristo está aplicado em nossas vidas é a Vida do Sangue em nós, que é o Espírito Santo; ao crer em Cristo como nosso Salvador, lavar nossos pecados no Sangue de Cristo e receber Seu Espírito Santo.

         Ao ter o Espírito Santo, e assim ter o corpo teofânico da sexta dimensão, temos a Vida do Sangue em nós; por isso temos vida eterna.

         E agora, vejam vocês como Cristo ao morrer na Cruz do Calvário quitou a dívida do pecado: levou todos nossos pecados, de todos os filhos e filhas de Deus, tirou assim o pecado. E quando a pessoa crê em Cristo como seu Salvador e lava seus pecados no Sangue de Cristo e recebe Seu Espírito Santo, se torna realidade para a pessoa o Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário, e produz os benefícios de Seu Sacrifício na Cruz do Calvário.

         Agora, vejam como Cristo com Sua morte na Cruz do Calvário adoçou nossa vida. Quando o colocamos dentro de nós, adoça nossa vida para toda a eternidade. E nos dá um corpo teofânico eterno, e isso é: adoçado nosso espírito, ficou adoçado, ficou mudado; agora temos um espírito da sexta dimensão, esse corpo teofânico da sexta dimensão. E fisicamente também — em toda sua plenitude — adoçará nosso corpo, nos dando um corpo eterno.

         Isso o fará quem? Jesus Cristo, A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS.

         E também adoçará o povo hebreu como nação e a cada membro desse grupo de 144.000 hebreus. E também adoçará a nação hebraica como nação e também adoçará todas as nações da Terra durante o Reino Milenial, todas as nações que viverão nesse Reino Milenial.

         Porque a Árvore que adoça as águas estará sentada no Trono de Davi; e adoçará todas as nações, povos e línguas, e dará paz, dará prosperidade espiritual e física também, e dará Vida; e teremos esse glorioso reinado de Cristo sem guerras por mil anos.

         E depois haverá uma guerra, uma batalha, ao final dos mil anos; porque a outra árvore, a árvore do conhecimento do bem e do mal, que é o diabo, será solto, e levantará as nações que ele tinha enganado; porque virá a ressurreição de todos os mortos que viveram no passado e os que vivem neste tempo, que não são dos escolhidos de Deus, e serão ressuscitados para ir diante do Trono Branco, para serem julgados por Jesus Cristo; e o diabo aí volta a enganar a essas pessoas e os toma para levantar uma revolução e dar um golpe de estado em Jesus Cristo, ao Rei do planeta Terra completo; e os reunirá e os levará para fazer guerra a Cristo; mas do Céu descerá fogo, e os destruirá a todos.

         Veem que o diabo, a árvore do conhecimento do bem e do mal, é o que causa as guerras e os problemas da raça humana? Quando estiver atado por mil anos, não haverá problemas.

         A Árvore da Vida, que é Cristo, a Árvore que adoça as águas, é quem traz bênção para cada indivíduo, para cada cidade, para cada nação e para todas as nações do planeta Terra. Por isso o glorioso Reino Milenial de Cristo é o Reino de Deus com a Árvore que adoça as águas no Trono de Davi reinando por mil anos sobre este planeta Terra.

         Vimos “A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS”, a qual veio dois mil anos atrás e esteve no meio da raça humana; e para este tempo final temos a promessa que estará novamente conosco na Terra para a Obra correspondente ao Último Dia, onde chamará e juntará todos Seus escolhidos com a Grande Voz de Trombeta e onde (depois que já estiverem todos os escolhidos no Corpo Místico de Cristo) sairá do Trono de Intercessão no Céu, Jesus Cristo, reclamará todos os que Ele redimiu com Seu Sangue precioso, e ressuscitará todos os mortos em Cristo, e nos transformará nós os que vivemos, e assim adoçará fisicamente todos os filhos e filhas de Deus.

         Por isso é tão importante a Segunda Vinda de Cristo, assim como foi importante a Primeira Vinda de Cristo: porque é a Vinda da Árvore que adoça as águas, para adoçar as águas físicas do corpo humano dos escolhidos que vivem; e para os mortos em Cristo dar um corpo eterno e glorioso, o qual será doce para todos os Santos que viveram no passado; e para nos levar à Ceia das Bodas do Cordeiro, o que será doce também estar na Grande Ceia das Bodas do Cordeiro, na Casa do nosso Pai celestial.

         E depois regressaremos com Cristo, depois de três anos e meio de estar na Casa do nosso Pai celestial, na Ceia das Bodas do Cordeiro, depois regressaremos à Terra para o glorioso Reino Milenial; o qual será doce também: viver em um Reino de paz, de harmonia, de amor divino e de prosperidade espiritual e material; “Porque (toda) a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR, como as águas cobrem o mar”, diz Habacuque, capítulo 2, versículo 14, e também Isaías, capítulo 11, versículo 9.

         A Terra será cheia do conhecimento da Árvore que adoça as águas, a Terra será cheia do conhecimento da Segunda Vinda de Cristo e de Sua Obra realizada na Sua Segunda Vinda, assim como a Terra esteve sendo cheia do conhecimento da Primeira Vinda de Cristo e a glória do Senhor, a glória de Deus manifestada na Primeira Vinda de Cristo em carne humana.

         Agora, vejam vocês o doce que será viver no glorioso Reino Milenial.

         O principal ensinamento é o ensinamento divino, para o conhecimento de Deus. Todo ensinamento é para obter conhecimento. Você não pode dar um ensinamento a alguém que não seja para que aprenda algo; em todo ensinamento se obtém um conhecimento. E com o ensinamento divino da glória do Senhor, todos conhecerão Deus; é o ensinamento para todos conhecerem Deus.

         Diz a Escritura que “naquele dia o Senhor será um, e um Seu Nome”. Também há outra Escritura que diz: “E naquele dia o Senhor será Rei sobre toda a Terra”. O Senhor é Jesus Cristo, o qual estará sobre o Trono de Davi sentado, reinando sobre o povo hebreu e sobre todo o planeta Terra.

         Também diz a Escritura aí em São… em Isaías… Poderíamos dizer “São Isaías”, mas vamos dizer “Isaías”. em Isaías, capítulo 52, diz [versículo 6]:

         “Portanto, o meu povo saberá o meu nome, por esta causa, naquele dia, porque eu mesmo sou o que digo: Eis-me aqui.”

         Diz que naquele dia (esse é o sétimo milênio) todos - o povo de Deus saberá Seu Nome (isso é no sétimo milênio). Por quê? Diz: “Porque eu mesmo sou o que digo: Eis-me aqui.”

         Agora, uma pessoa pode estar falando, digamos; pelo rádio e nunca dizer seu nome; ou ser conhecido por um nome que não é nome próprio, que não é o nome próprio da pessoa, mas em seguida ao dizer: “Eu vou estar em tal lugar e todos vão saber meu nome”; e quando ele chega a esse lugar, pois vai ter aí seu nome; porque quando a pessoa nasceu… quando você nasceu, puseram um nome nesse corpinho que nasceu, e onde quer que você for; você leva (o que?) seu nome.

         Por isso, muitas pessoas podem ter visto você sem saber seu nome; mas vem uma pessoa que o conhece e o chama por seu nome, e todas as demais pessoas dizem: “Agora sim conheço o nome desta pessoa, a qual via, mas como nunca tinha dito seu nome, nunca tinha me dito seu nome, não sabia qual era seu nome; mas agora Fulano de Tal disse seu nome. Agora eu conheço seu nome”. E agora pode chamar você por seu nome, porque já conhece seu nome; mas seu nome sempre acompanhou você, mesmo que outras pessoas não saibam seu nome.

         Mas você, quando chega a um lugar e se apresenta ou o apresentam você, então você diz: “Eu sou Fulano de Tal. Prazer em conhece-los”, e então todos sabem seu nome; porque você mesmo se fez presente e se deu a conhecer, se identificou com o nome que você tem.

         Bom, e aqui Deus diz:

         “Portanto, o meu povo saberá o meu nome, por esta causa, naquele dia, porque eu mesmo sou o que digo: Eis-me aqui.”

         E aí se revela, manifestando Seu Nome nessa manifestação d’Ele, na qual Ele se torna presente ao povo hebreu. Mas primeiro se tornará presente a Sua Igreja gentia, a qual já o esteve esperando por dois mil anos, de Cristo para cá; da partida de Cristo para cá, Sua Igreja o esteve esperando.

         Agora, a Igreja esteve esperando a Árvore que adoça as águas, a qual é nosso amado Senhor Jesus Cristo; e nos adoçará fisicamente também; nos adoçará espiritualmente também, nos dando Sua Palavra; porque não há coisa mais doce que Sua Palavra.

         Vamos ver aqui. Vejam como Ele nos adoça por dentro. Em Apocalipse, capítulo 10, versículo 8 em diante, este Anjo que desce do Céu em Apocalipse, capítulo 1, versículo 1 ao 7, traz na Sua mão direita um Livrinho aberto, o qual é o Livro que estava selado na mão direita de Deus, o qual tomou e abriu.

         Estava selado com sete Selos; Ele tomou em Apocalipse, capítulo 5; e em Apocalipse, capítulo 6, abriu seis Selos; e em Apocalipse, capítulo 8, abriu o Sétimo Selo; e em seguida em Apocalipse, capítulo 10, desce do Céu com esse Livrinho já aberto. E agora, vejam o que é este Livrinho:

         “E a voz que eu do céu tinha ouvido tornou a falar comigo e disse: Vai e toma o livrinho aberto da mão do anjo que está em pé sobre o mar e sobre a terra.

E fui ao anjo, dizendo-lhe: Dá-me o livrinho. E ele disse-me: Toma-o e come-o, e ele fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel.

E tomei o livrinho da mão do anjo e comi-o; e na minha boca era doce como mel; e, havendo-o comido, o meu ventre ficou amargo.

E ele disse-me: Importa que profetizes outra vez a muitos povos, e nações, e línguas, e reis”.

         Agora vejam como este Livrinho dos Sete Selos aberto é dado a João o apóstolo, o qual é tipo e figura do Anjo de Jesus Cristo, que estará no Último Dia recebendo esse Livrinho aberto da mão do Anjo Forte, da mão de Jesus Cristo, o Anjo do Pacto; e diz que o coma; o entrega e diz: “Come-o. Te amargará o ventre, mas na tua boca será doce como mel”. E o tomou, o comeu, foi doce na boca e no seu ventre foi amargo.

         A amargura são as provas e perseguições pelas quais o Anjo Mensageiro de Jesus Cristo passará, essa é a parte amarga; mas é doce na boca. E essa Mensagem ao ser falada, é doce falá-la e é doce para os que a recebem, porque adoça sua vida, e os enche da fé para serem transformados e raptados, a revelação para serem transformados e raptados neste tempo final.

         Agora, a parte amarga são as provas e perseguições por causa de ter recebido e comido a revelação do Livro dos Sete Selos, o Livro da Vida, onde estão nossos nomes escritos.

         Agora vejam como Cristo, a Árvore da Vida, a Árvore que adoça as águas, dá esse Livrinho, esse Título de Propriedade; é Dele e o dá, e assim nos dá esse fruto para todos nós, para assim estarmos comendo do fruto da Árvore que adoça as águas, e assim poder ser transformados e ter o corpo eterno que Ele prometeu para todos nós.

         Cristo, a Árvore da Vida, vejam vocês, está dando a comer aí ao Seu Anjo Mensageiro e, consequentemente, Seu Anjo Mensageiro, ao dar essa Mensagem à Igreja de Jesus Cristo, está dando a comer dessa mesma Árvore da Vida. E uma das promessas de Cristo é: “Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida que está no meio do paraíso de Deus.”

         Agora vejam como essa é a mesma Árvore que adoça as águas, tipificado naquela árvore que adoçou as águas, porque é tipo e figura (aquela árvore) de Jesus Cristo nosso amado Salvador.

         Vejam todas as bênçãos que tem Cristo, A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS, para cada um de vocês e para mim também, para este tempo final e para toda a eternidade.

         Que as bênçãos de Jesus Cristo, A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS, sejam sobre todos vocês e sobre mim também; e em breve se complete o número dos escolhidos de Deus, e em breve todos sejamos transformados e levados a Casa do nosso Pai celestial, à Ceia das Bodas do Cordeiro no Céu. No Nome Eterno do Senhor Jesus Cristo. Amém e amém.

         “A ÁRVORE QUE ADOÇA AS ÁGUAS”.

         [Revisão janeiro 2020]

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para dar a vocês este testemunho concernente às igrejas. Eu sou a Raiz e o Descendente de Davi, e a resplandecente Estrela da Manhã". Apocalipse 22:16